Imagem capa -  por Victor Alves Alvarenga
Moido Na Hora

Você já sentiu isso?


Entrar em um lugar e ter a impressão de que já passou por lá?!


Você não sabe o que, mas alguma coisa está dizendo que esse lugar não é estranho. É esse o sentimento ao entrar na cafeteria Jardin! (Se escreve com "n" mesmo)


Eu marquei de conversar com a Ina as 18h30, e desde meu primeiro contato, ela se mostrou receptiva com o projeto. Antes mesmo de chegar ao Jardin, já havia o avistado de longe, além de ser um espaço lindo ele se integra a rua, e isso faz parte da cultura do Jardin, ser aberto a quem passa por lá! Tenho certeza que se você estiver passando pela calçada do Jardin, você vai parar e entrar! 





Quando entrei, o primeiro sentimento foi de paz e, não há como entrar e não pensar: "Como isso tem cara de vó!". O Jardin é isso, gente! Muito mais que uma cafeteria, muito mais que uma loja de plantas, é um lugar que mexe com o senso cognitivo e ativa lá dentro da sua memória, aquela nostalgia boa de uma velha infância bem vivida! 


Me trouxe a memória a minha avó regando suas samambaias na garagem de casa. O que você sentiu ao olhar as primeiras fotos?


Fica claro o carinho da Ina do Jean em cada canto do Jardin! Ah, quero compartilhar com você um pouco da história deles com a cafeteria e a loja de plantas.


Eles estavam planejando ter um filho e em todo esse planejamento viram que, nos empregos que cada um tinha na época, não conseguiriam dar a atenção devida a esse novo momento da vida! Foi quando a Ina disse para o Jean que gostaria de abrir uma loja de plantas, porque era um sonho dela e também porque iria conseguir ficar mais tempo cuidando do bebê. Então, os dois entraram nessa jornada e foi de pouco em pouco, de anotação em anotação, que  enxergaram algo além de comercializar só plantas. 


Começaram servindo um pequeno chá da tarde com bolachas para os clientes e todos diziam que a loja da Ina era um lugar do qual eles se sentiam bem de ficar, e assim surgiu o Jardin cafeteria, um sonho antigo do Jean. Engraçado como a vida responde de forma positiva quando nos colocamos a disposição de viver nossos sonhos com leveza e guerra ao mesmo tempo! A vida não une apenas pessoas, une propósitos!  


A relação da Ina com todos na cafeteria é linda de se ver e não digo isso só com o time deles, mas com todos que frequentam o Jardin! 


Foi exatamente isso estávamos conversando, sobre esse lugar te deixar conectado com você mesmo e com as pessoas ao seu redor de forma tão natural. Por isso eles optaram por não ter Wi-FI, a proposta do Jardin é você estar lá, presente de corpo e alma. 


A Ina e o Jean são pessoas que não gostam de se expor como "donos" do local, justamente para que a relação com todos seja a mais natural possível! 


Enquanto conversávamos, o brilho dos olhos de Ina contando sobre tudo, com tanta paixão, nossa! Foi inspirador! Então, a única foto que pedi para fazer dela, foi essa acima!



Tudo lá tem um significado. O café com amendoim é uma homenagem ao pai do Jean! - "Ele só tomava café assim, então decidiu fazer uma homenagem ao pai". Quer um coado mais especial que esse?!


A ideia do café com amendoim não é só gostosa, como também serve pra gente parar e realmente tomar aquele café. Não tem como descascar o amendoim olhando as notificações no celular, por exemplo. 


Falando em café, o coado com amendoim mais o bolo do maçã foi o que a Ina, não só me recomendou, como fez questão de ser uma cortesia por parte dela! Entende o carinho que habita lugar?!


Como eu disse, tudo lá é especial, os bolos feitos por eles são receitas da família atualizadas com as opinões dos clientes! Eles dão muita importância para o que você pensa a respeito do café e são abertos a novas sugestões sempre! 


Isso é tão fascinante, porque em todo canto do Jardin, você enxerga muito da personalidade da Ina e do Jean! 


E eles prezam tanto pela conexão das pessoas com o ambiente que não fecham as portas para ninguém. Isso é realmente da cultura deles, de aceitar opiniões diferentes e aceitar pessoas que estão numa jornada de vida diferente! 



Um detalhe tão simples mas com um significado tão grande: aceitação! Sobre esse banheiro, a Ina me disse que quando conseguiram mais espaço para a cafeteria, poderiam construir mais de um, só que optaram por fazer um só, aonde todos podem usar. Que incrível esse ato tão pequeno mas tão significativo para todos nós! 



Sim, lá tem uma máquina do futuro, que escreve e imprime na hora!


Mais alguém aqui pirou com essa ideia? Imagina uma máquina dessas funcionando e você podendo escrever o quanto quiser gratuitamente?! Ah tá, porque eu achei que era só eu!   


E para completar, ainda têm carimbos <3




Se você estiver sem tempo para se sentar e apreciar, não tem problema, tanto as plantas como a cafeteria, podem ser embrulhadas para viagem e com muito carinho! Mas óh, promete que volta um dia para ficar um tempinho por lá hein?!


Ah, para a galera vegetariana e vegana, têm várias opções! =)






É impossível sair da loja da Ina com as mãos abanando  . Foi difícil escolher o que eu levaria, porque são tantas opções lindas por lá, que você fica até meio perdido, mas não por muito tempo porque todos que trabalham lá te ajudam de alguma forma! 



Essa aqui é a mais nova integrante da família! <3


Ina e Jean, obrigado por me receberem na segunda casa de vocês! Adorei conhecer um pouco mais sobre essa história linda que vocês trilham! 


//


Obrigado por você que leu e acompanhou também! Deixe seu comentário e me fale o que achou. Se tiver sugestões de cafeterias vou amar saber! 


Aproveitando, já segue o perfil do Moído Na Hora no insta? Não? Então chega mais!


Até a próxima!


Victor =)


P.s. Quer ver o post anterior? Clique aqui!